sexta-feira, 15 de abril de 2016

Por que você é contra o desarmamento?

Há alguns dias, numa conversa informal com um amigo, o tema acabou descambando para as restrições ao acesso às armas, do que resultou uma pergunta tão simplesmente direta quanto intrincada. "Por que você é contra o desarmamento?", me indagou ele. Por uns instantes, fiquei preso à complexidade daquela resposta, já que os motivos são muitos, o suficiente para montar um livro (literal e concretamente), mas resolvi devolver a simplicidade: "porque não funciona", respondi, ciente de que aquilo dificilmente encerraria a conversa.

Obviamente, não encerrou e veio a réplica: "como você pode afirmar isso?". Aí, não havia mais jeito de manter a superficialidade. Perguntei a ele se estava com tempo, ele disse que só um pouco, e então tive que partir para uma conduta mais, digamos, incisiva - tanto quanto fria, o que me faz evitá-la ao máximo. Entreguei-lhe um exemplar do "Articulando em Segurança" que tinha no carro e indiquei o site do Cepedes, mas sem muita esperança de que fosse acessado - o meu amigo não é muito fácil de se desapegar de suas convicções, e, até então, acreditava que o desarmamento era algo positivo.

Hoje, fortuitamente, tive novo contato com ele. Para minha enorme satisfação, me disse que havia se convencido totalmente de que as políticas desarmamentistas são um grande erro e que isso fica inteiramente óbvio a quem para, um pouco que seja, e se dedica ao estudo do tema. E arrematou: "é claro que não funciona!".

Pois é. Foi o que eu havia dito...

*

# Aos que queiram se inteirar mais sobre o assunto, faço duas indicações:

a) a primeira, obviamente, é o livro - www.articulandoemseguranca.com.br

b) a segunda é o vídeo da minha participação mais recente em audiências públicas na Câmara dos Deputados, na qual, no exíguo tempo de que dispunha, acabei sintetizando bastante o que penso sobre esse assunto:




* * *

Comente com o Facebook: